A Importância do Pacto Áureo no Espiritismo Brasileiro

  • PDF






Desde meados do século XIX até os dias de hoje, o Espiritismo no Brasil vem se expandindo continuamente, devido à ampla divulgação da Doutrina através dos diversos meios de comunicação (livros, jornais, rádio, televisão, cinema, internet e outros). O período que compreende as décadas de 30 e 50 se destaca por apresentar um grande aumento no número de Centros envolvidos pelas ideias espíritas. Por causa desse crescimento, intensificaram-se os esforços para colocar em prática um sonho que teve origem no século XIX, com o Dr. Bezerra de Menezes: unificar o Movimento Espírita em âmbito nacional. Em 5 de outubro de 1949, foi assinado um acordo que ficou conhecido como Pacto Áureo, designação essa dada por um de seus signatários (Artur Lins de Vasconcelos Lopes). Dentre as disposições do Pacto Áureo estava a criação do Conselho Federativo Nacional (CFN) da Federação Espírita Brasileira, cujo objetivo era orientar o Movimento Espírita, recomendando normas e diretrizes para as diversas Fraternidades Espíritas Brasileiras. Em O Livro dos Médiuns, Allan Kardec ressalta a importância da comunicação entre os grupos espíritas:

“A dificuldade, ainda grande, de reunir crescido número de elementos homogêneos deste ponto de vista, nos leva a dizer que, no interesse dos estudos e por bem da causa mesma, as reuniões espíritas devem tender antes à multiplicação de pequenos grupos, do que à constituição de grandes aglomerações. Esses grupos, correspondendo-se entre si, visitando-se, permutando observações, podem, desde já, formar o núcleo da grande família espírita, que um dia consorciará todas as opiniões e unirá os homens por um único sentimento: o da fraternidade, trazendo o cunho da caridade cristã.” (Allan Kardec, O Livro dos Médiuns, Item 334)

Para saber mais, acesse o link da página da Federação Espírita Brasileira (FEB) http://www.febnet.org.br/blog/geral/conheca-a-feb/o-pacto-aureo/